21 ANOS DA OBRIGATORIEDADE DO CINTO DE SEGURANÇA

 

Todos os motoristas sabem que o cinto de segurança é obrigatório para os veículos, mas ainda hoje existe uma porcentagem grande de condutores e passageiros que não utilizam esse acessório.

Mas quando surgiu essa obrigatoriedade?

O cinto se tornou um elemento essencial para os automóveis há mais de duas décadas. Em 2019, essa regulamentação completa 21 anos e, na época do seu anúncio, desagradou os condutores.

A população em geral não tinha o costume de utilizar o acessório, por isso, sua obrigatoriedade gerou polêmica e acabou desagradando os motoristas que acreditavam que o cinto era um elemento desnecessário.

E o que mudou hoje em dia?

Com o passar dos anos, esse acessório foi se tornando mais e mais comum entre os motoristas e passageiros que passaram a utilizá-lo constantemente todas as vezes que viajam em seu veículo.

Porém, a pesquisa realizada pela Agência de Transporte do Estado de São Paulo levantou um dado alarmante nos dias atuais. As informações geradas apontam que 53% dos passageiros que viajam no banco traseiro não usam o cinto.

Já quando foi questionado aos passageiros do banco dianteiro, esse valor caiu para 15%, um valor mais baixo, mas que ainda é alto, se levado em conta os ricos sofridos por essas pessoas.

Por fim, 13% dos condutores também alegaram não utilizar o cinto quando estão dirigindo.

E quais os riscos em não usar o cinto?

Não utilizar o cinto de segurança é extremamente perigoso. De acordo com um levantamento realizado de 2012 a 2014, quase 70% dos passageiros fatais do banco traseiro estavam sem o acessório.

No banco da frente, esse número também é alto, cerca de 38,4% das vítimas fatais estavam sem cinto. E quando se trata dos motoristas sem o item, esse número cresce para 50,1%.

Ainda vale ressaltar que não utilizar o cinto de segurança causa infração. Segundo os dados da Polícia Rodoviária Federal, em 2017, foram mais de 213 mil multas dadas por esse motivo.

Como a sua autoescola pode ajudar?

Para diminuir o número de vítimas que morrem devido a ausência do cinto, é primordial que seu CFC ajude no processo de conscientização, conversando com os alunos sobre o risco em não usar esse acessório.

Saiba mais sobre as autoescolas

Para saber mais sobre o segmento dos CFC’s, aproveite para receber gratuitamente os nossos conteúdos através do celular. Participe da nossa lista de transmissão no WhatsApp, clique no link abaixo, nos envie uma mensagem dizendo “SIM” e receba em primeira mão todas as notícias e dicas das Autoescolas do Brasil: https://api.whatsapp.com/send?phone=5512981520124

Teste gratuitamente o e-condutor

Para aqueles que ainda não usam uma plataforma de gestão de autoescolas, essa é a oportunidade. Aproveite o e-condutor por 30 dias totalmente grátis e otimize o serviço oferecido pelo seu CFC. Faça seu cadastro e teste sem custo!




Leia também

16 MAI

Emita a LADV direto do sistema e-condutor

A LADV, Licença para Aprendizagem de Direção Veicular, é um documento fundamental para o processo de retirada da CNH. Ela deve ser expedida logo depois da aprovação na prova teórica.

07 DEZ

O aluno chegou com 10 minutos de atraso, cobro a aula?

Todas as autoescolas sofrem com um problema em comum: o atraso dos alunos. E além de ser algo muito prejudicial, essa falta de comprometimento com o horário também costuma gerar dúvidas entre os donos do CFC.

18 ABR

Aula de moto na chuva: somos obrigados a dar?

Uma das dúvidas frequentes entre os alunos e instrutores de CFC é a obrigatoriedade das aulas de moto durante dias chuvosos. Afinal, o que as autoescolas devem fazer? Para responder essa pergunta e sanar de vez essa questão, confira o nosso texto!

O melhor sistema para Autoescolas

Endereço

Av. Dr Altino Bondersan, 500 - Pq Tecnológico - CE I - Sala 108 Eugênio de Melo - CEP 12.247-016 - São José dos Campos - SP

E-mail

comercial@anovasistemas.com.br

Telefone

(11)  4063-6310
e-condutor 2020 © Todos os direitos reservados - Desevolvimento por PENTAXIAL